E de repente estávamos vivendo um momento alegre…

Daniel ficou em estado de choque e se dopou com tranqüilizantes, dormiu por uma semana.

Rebeca, transtornada, se engasga com a champanhe e morre sufocada.

Bruna chama a polícia pra resolver o barulho do vizinho.

Vicente telefona pra ela e termina com tudo.

Marta interpretou desrespeitoso tanta alegria em um instante tão mórbido.

Amanda o amava, julgou sua atitude como a mais sensata, entornou uma garrafa de uísque.

César achou melhor avisá-lo da tragédia, afinal era o que sua ética lhe dizia.

 

A empresa deixou de receber milhões, pois Jonas decidiu não ir trabalhar naquele dia.

 

Jonas decidiu não ir trabalhar naquele dia, pois na noite passada César o avisou da tragédia.

E tomou um trago, pois Amanda o recomendara.

Marta, irmã de Jonas, ao vê-lo entorpecido, não perdoou sua atitude, se trocaram muitos desaforos.

Até porque Marta estava fragilizada, pois Vicente acabara de lhe telefonar.

A gritaria acaba quando a polícia chega.

Porém a polícia havia errado o apartamento, arrombando a porta de Rebeca que estava com seu amante.

Daniel era o dono da empresa e teria uma reunião importante no dia seguinte, e passou na casa de Rebeca com uma garrafa de champanhe para comemorar.

Por Rodrigo Isoppo