Ituano, o campeão absoluto deste ano

Ituano

Faz um tempo já que o Ituano foi campeão paulista e agora com o Brasileiro, a Libertadores e a Copa do Mundo a tendência é esquecermos e esfriarmos o feito do time paulista. Mas para mim não há motivo melhor para a coluna do que o Ituano.

Provavelmente a história vai lembrar o campeão da copa do mundo, da libertadores, do brasileiro em 2014 e uma lembrança curiosa para o campeonato paulista. Mesmo assim para mim o Ituano é o campeão do ano. Do mundo. A alegria dos 6 mil torcedores que receberam os jogadores no estádio do clube após a façanha nos pênaltis frente ao Santos foi a melhor coisa do ano. Não pela preciosidade técnica, tática, jogadores, administração… Não. Não só o pequeno ganhar do grande (que a meu ver sempre é a razão do futebol ter tanta graça). Mas o que representou para o principal elemento do futebol como uma cultura viva brasileira: o torcedor.

Aqueles que abraçaram os jogadores e festejaram em pleno gramado em Itu, após acompanharem em um telão a partida que se realizava na poderosa capital paulista, demonstraram o que há muito vejo fugir do futebol comercial dos grandes times e das grandes competições.

Marco Polo Del Nero, Marín, Noveletto, Valcke e as políticas e estratégias que dominam o cenário futebolístico do Brasil simplesmente não conseguem tirar esses momentos sublimes. Nós torcedores, já dizia, Galeano, somos inocentes de tudo que envolve a máquina financeira e capitalista do futebol. E nos alegramos e devemos nos alegrar sempre que momentos como o do Ituano nos lembrarem da alegria genuína que o futebol ainda pode ter.

Por Chico Guazzelli